Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Agevisa divulga orientações do uso correto da máscara
Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Agevisa divulga orientações do uso correto da máscara

Notícias

Agevisa divulga orientações do uso correto da máscara

Em face da persistência da pandemia mundial ocasionada pelo coronavírus e da necessidade de cuidados cada vez mais efetivos para evitar a incidência desenfreada da Covid-19, a Agência Estadual de Vigilância Sanitária dedicou a edição desta quinta-feira (30) do informativo radiofônico Momento Agevisa (veiculado dentro da programação do Jornal Estadual da Rádio Tabajara – AM-1110 e FM-105.5) à divulgação das recomendações da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) relacionadas ao uso não profissional das máscaras de proteção respiratória.

Órgão da Rede Global de Conhecimento e Normatização ISO (que congrega mais de duzentas organizações em todo o mundo), a ABNT desenvolveu documento de referência com orientações quanto à fabricação, uso correto, lavagem, reuso e descarte das máscaras de proteção respiratória, que são produtos destinados à população de modo geral.

Três horas, no máximo – Conforme expresso na “Prática Recomendada ABNT 1002” (é esse o título do documento da ABNT), a máscara de proteção respiratória para uso não profissional deve ser utilizada no máximo por três horas. O equipamento tem o objetivo de fornecer proteção contra possível penetração viral na região oral e nasal do usuário ou de pessoas no seu entorno em ambientes públicos (ou fechados com acesso ao público), evitando, dessa forma, a disseminação de agentes infecciosos, como é o caso do coronavírus. A sua utilização inadequada, entretanto, pode causar efeito contrário, colocando o usuário em situação de risco, ao invés de protegê-lo.

De acordo com a ABNT, a máscara de proteção respiratória para uso não profissional não exime o usuário da aplicação de medidas protetivas complementadas pelas ações de distanciamento social e higiene, essenciais para a contenção da disseminação dos agentes infecciosos, de acordo com as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Ajuste necessário – Composta de multicamadas de tecidos com ou sem filme, a máscara de proteção respiratória para uso não profissional deve ser ajustada firmemente no nariz, bochechas e queixo do usuário, para garantir vedação suficiente contra a atmosfera ambiente quando a pele estiver seca ou molhada, bem como quando o usuário estiver em movimento. O ar inalado deve penetrar pelo composto multicamada e atingir diretamente a área do nariz e da boca, sendo o ar expirado liberado pelo mesmo caminho, diretamente na atmosfera ambiente.

As máscaras devem ser embaladas de modo que fiquem protegidas de danos mecânicos e de qualquer contaminação antes do uso, e os materiais utilizados devem ser capazes de suportar manipulação e desgaste durante a vida útil do produto indicada pelo fabricante.

Cuidados na hora da compra – Projetada para ser reutilizável e para resistir a no mínimo trinta ciclos de lavagem de pelo menos trinta minutos cada, a máscara de uso não profissional deve ser descartada se apresentar algum tipo de desajuste, deformação ou desgaste após ser lavada. Ao adquirir o produto, o usuário deve observar as condições da embalagem e as informações obrigatórias nela contidas, tais como nome, marca de identificação do fabricante ou fornecedor; número da ABNT 1002 e a designação “Máscara de proteção respiratória para uso não profissional”, duração recomendada de uso e instruções de manutenção (modo de lavagem e secagem) e de utilização.

Higiene – Antes de usar a máscara, o usuário deve lavar as mãos com água e sabonete ou higienizá-las com álcool a 70% ou álcool em gel a 70%. Feito isso, ele deve localizar a parte superior do produto, segurá-lo pelo lado de fora, passar os elásticos ou suportes de tecido por trás da cabeça, em ambos os lados das orelhas, abaixar a parte inferior da máscara e verificar se a mesma está cobrindo o seu queixo. Uma vez ajustada, a máscara não deve ser tocada, e caso haja algum toque involuntário, o usuário deve novamente lavar as mãos com água e sabonete ou higienizá-las com preparação alcoólica a 70% ou álcool gel a 70%.

No ato da remoção, o usuário deve cuidar para que não haja contaminação. Para isso, deve remover o produto segurando a tira da parte de trás, sem tocar na parte frontal, colocando-o em recipiente específico para descarte ou diretamente para lavagem (no caso de reutilização). Logo em seguida deve lavar ou higienizar as mãos.

Lavagem e secagem – O processo de lavagem e secagem da máscara de proteção respiratória para uso não profissional exige alguns cuidados especiais. Ao lavar o produto, é necessário evitar o contato do mesmo com roupas limpas. Além disso, a pessoa responsável deve se proteger caso a máscara não esteja acondicionada em embalagem plástica hidrossolúvel.

Quanto ao processo de secagem, este pode ser realizado com a utilização de secadoras a temperatura igual ou superior a 60 graus. Pode-se também secar as máscaras ao ar livre, sob a incidência direta da luz solar. Neste caso, é recomendável que as mesmas sejam protegidas por embalagens de tecido que também tenham sido submetidas ao mesmo processo de lavagem e desinfecção.

Descarte – Conforme as recomendações da ABNT, as máscaras de proteção respiratória devem ser descartadas em lixeiras com embalagem plástica, de preferência com tampa e não operadas manualmente. Recomenda-se utilizar embalagens duplas para preservar o conteúdo da primeira embalagem, em caso de ruptura da embalagem externa, durante a coleta.

registrado em: